` Sorvete de limão para minha mãe | Give me Flour

Give me Flour

Se eu vivesse num mundo perfeito eu diria que minha mãe é minha melhor amiga, eu diria que ela me ensinou tudo que sei hoje, que ela sempre esteve do meu lado quando precisei dela.

Mas não, não vivo em um mundo perfeito. Minha mãe não é minha melhor amiga, ela não me ensinou tudo que sei, ela não esteve sempre presente. Mas se ela falhou algumas vezes como mãe, eu também falhei como filha, falhei por ser impaciente, por esperar demais, por não medir minhas palavras.

A verdade é que minha mãe e eu somos extremamente parecidas, parecidas ao ponto de repelirmos uma a outra. Mas, entre discordâncias e silenciosos desentendimentos eu continuo lembrando que um de seus sorvetes favoritos é sorvete de limão. E o fato de eu achar que ela merece um grande balde de sorvete de limão no dia das mães, no final das contas, significa alguma coisa!

O que faz esse sorvete ser especial, além do fato de tê-lo feito para minha mãe, é sua origem. A receita saiu do livro da minha bisavó ou da vó da minha mãe. Já falei sobre esse livro antes, o livro de mágicas e você provavelmente ainda vai ver suas receitas por aqui. Então, essa receita é do tempo em que não haviam geladeiras ou máquinas elétricas de sorvete para ajudar.

Tentei seguir cada passo e preservar a receita original o máximo que pude. E foi divertido ver as diferenças e como o jeito como entendemos e saboreamos nossa comida mudou.

Primeiro, a receita pede muito açúcar, mas simplesmente pelo fato de que ela vem de uma época em que açúcar não era um vilão.

Segundo, o sabor pode ser considerado suave demais pelo nosso mimado paladar, tão acostumado com sabores artificiais e alimentos super temperados.

Terceiro, não existiam outras palavras, pelo menos em português, para sobremesas como essa. Sorbet é uma palavra consideravelmente nova no nosso vocabulário e a mais de 80 anos atrás pouco importava se alguém usasse creme ou não. Sorvete era sempre sorvete.

Finalmente, o jeito com que as receitas eram escritas poderiam facilmente elouquecer alguém hoje. O mais simples possível, sem explicacões ou medidas precisas. Me fale, quão grande um limão pode ser? E quanto suco eu consigo extrair de um limão que eu nem sequer sei se é do tamanho certo?

Uma verdadeira viagem no tempo envolvendo muita adivinhação, não?

Interessante perceber como nossa língua também sofreu mudancas né? Bom, esta é a receita na íntegra, no livro o capítulo sobre sorvetes começa com uma breve explicação de como se monta uma máquina de sorvetes. Por isso o “congela-se como já ficou indicado”.

Eu usei minha geladeira mesmo, afinal ela foi inventada por uma razão! Como a idéia aqui é criar um sorvete e não um bloco de suco congelado, basta seguir alguns passos. Coloque a mistura no frezer somente quando ela estiver completamente gelada e tente mexer a cada hora até a massa atingir uma consistência cremosa. Assim você vai obter um autêntico sorvete do início do século 20.

E como disse antes, a quantidade de suco de limão é super incerta. E como eu não tinha limões grandes, eu acabei usando três pequenos e mais dois limões sicilianos que me deram um total de 250ml de suco. Também adicionei algumas raspas de limão, acho que minha bisavó não iria se importar e tenho certeza que minha mãe iria amar!

E para aqueles que sofrem de uma incontrolável compulsão por doce, prove o sorvete com esse molhinho!!

Misture o acúcar, o creme de leite, bicarbonato, mel, capim limão e mateiga numa panela média. Leve ao fogo médio mexendo constantemente até atingir a cor de caramelo.

Desligue o fogo, adicione o suco de limão, mexa, coe e deixe esfriar antes de servir. Se estiver muito grosso, adicione suco de limão até atingir a consistência desejada.

Leave a Reply



Proudly powered by WordPress.
Copyright © Give me Flour. All rights reserved.