` Caldo verde, inspiração portuguesa! | Give me Flour

Give me Flour

Couve de novo, eu sei. Não que eu esteja passando por um bloqueio de criatividade, nada disso. É que não estava mais conseguindo resistir a essa sopa. Venho namorando essa receita desde outubro quando minha prima, que tinha recentemente voltado de Portugal, me trouxe uma revista com a receita de caldo verde.

Fico só imaginado o que minha mãe diria nesse momento. Pelo que me lembro, ela costumava fazer sopa pelo menos uma vez por semana e todas as vezes a gente reclamava. Acho que aprendi que sopa podia ser uma coisa boa e mais do que um monte de legumes cozidos num caldo de carne um pouco mais tarde.

Caldo verde, por exemplo, só fui conhecer através da minha sogra e quando provei pela primeira vez não conseguia acreditar que este prato não fazia parte das minhas memórias de infância, o que teria feito todo sentido desse mundo!

Você sabe como nós brasileiros, pra não falar dos mineiros, temos um carinho grande pela couve né? É uma das muitas heranças portuguesas que permanence viva nas nossas refeições diárias. Quando era pequena lembro que todo mundo costumava ter um pé de couve em casa; salsa, cebolinha e couve, todas juntas formavam a trindade onipresente de qualquer quintal. E naquele bate-papo corriqueiro com o vizinho na porta de casa não era nada raro ouvir alguém contando de como a sua couve não havia crescido ou estava com pulgão. Cada coisa que a gente lembra não é?

Então, eu não entendo por que “caldo verde” não existia pra mim até os meus vinte e poucos  anos. Mas um dia nos encontramos e é isso o que importa. Ele estava um pouco esquecido no meio do meu repertório de receitas, confesso. Mas quando vi a receita na revista logo soube que aquilo era na verdade um aviso, um lembrete e finalmente caldo verde veio fazer parte do meu caderno de receitas virtual.

Em resumo, esta sopa é uma combinação de batata e couve, servido com fatias de linguiça portuguesa. Nós aí no Brasil amamos adicionar uma calabresa mas como por aqui é didícil encontrar qualquer uma delas, acabei usando um “chorizo ​​espanhol”, um tipo de linguiça de porco defumada e bastante picante, o que acabou dando um toque especial ao prato.

Pois é, não deixa de ser engraçado, uma brasileira preparando um prato potuguês com linguiça espanhola em território americano. Tem hora que me vejo brincando de telefone sem fio na cozinha. Especialmente porque eu não segui a receita da revista, na verdade a tomei como ponto de partida e acabei acrescentando mais batatas, menos água, linguiça ​​espanhola como já falei, e muito, muito alho. Basicamente uma nova receita.

Ah! Como guarnição acabei inventando moda e fazendo essa receitinha aqui.São folhas de couve assadas até ficarem crocantes. Recomendo, dá um toque especial à sua sopa além de textura extra na hora de comer.

Resumindo, rasgue algumas folhas de couve em pedaços pequenos. Tenha certeza de que estejam bem secas, caso contrário sua couve não vai ficar tão sequinha. Adicione de 1 a duas colheres de azeite e misture bem. Espalhe a couve picada em uma assadeira formando uma única camada e asse em forno médio de 5 a 15 minutos, basicamente até a couve crocante. Reserve.

Prepare o Caldo Verde:

Aqueça o azeite em uma panela grande e cozinhe a cebola e o alho em fogo médio por cerca de 3 ou 4 minutos.
Adicione as batatas e deixe cozinhar por mais 4 minutos, mexendo sempre. Adicione a água, o sal, pimenta do reino a gosto e deixe ferver.
Deixe as batatas cozinham em fogo baixo por aproximadamente 20 minutos ou até ficarem macias. Nesse ponto eu simplesmente pego um espremedor de batata ou um garfo grande e amasso parte das batatas, deixando alguns pequenos pedaços intactos. É uma dica de minha sogra, a porção amassada ajuda a engrossar a sopa e ainda assim você terá alguma textura no final. Delicioso!
Adicione a linguiça cortada em fatias e deixe cozinhar por 4 a 6 minutos.
Adicione a couve cortada em fatias finas, mexa, desligue o fogo e sirva imediatamente. E isso é importante, você pode fazer quase tudo antes mas espere até o último minuto para adicionar a couve.
Decore com o crisp de couve e sirva imediatamente.

 

One Response to “Caldo verde, inspiração portuguesa!”

  1. NADIA

    TENHO UMA RECLAMACAO, TODA VEZ QUE SOU CITADA NESTE LINDO BLOG, APARECO COMO “MINHA PRIMA”, “UMA PRIMA”, “MEUS PRIMOS”, VC PODERIA POR FAVOR COLOCAR MEU NOME. HJ PERCEBI QUE VC CITOU A TIA MISE, A TIA JOANA, A TIA LUCIA E EU SOU SO “A PRIMA”…
    PRONTO DESABAFEI…AH…A MINHA MAE TAMBEM RECLAMOU DIREITOS AUTORAIS DO PAO DE QUEIJO, ESTA BRIGA É BOA…PARABENS DE NOVO!!!

Leave a Reply



Proudly powered by WordPress.
Copyright © Give me Flour. All rights reserved.