` Give me Flour | - Part 11

Give me Flour

Seattle

September 23rd, 2011


Se você está na faixa dos trinta como eu, as chances são grandes de você associar Seattle com música. Alice in Chains, Nirvana, Soundgarden, Pearl Jam, esses nomes lhe são familiares, não?  E provavelmente você sabe que amanhã Nevermind, o álbum de maior repercusão do Nirvana, estará completando vinte anos.

Sim, eu tive uma fase grunge razoavelmente intensa na minha adolescência. E isso pode ser entendido como cabelo vermelho, camisas xadrez de flanela – mesmo vivendo no clima brasileiro – e uma atitude tipo eu-não-­ligo-para-minha-aparência. Mas isso não durou muito, quero dizer, continuo gostando da música e ainda sou boa quando o assunto é não ligar pra aparência, mas o cabelo vermelho já era.

Bom, quando começamos a planejar nossa viagem em direção ao Pacífico, a música acabou nos guiando até Seattle. A gente tinha que conferir esse cenário de perto e entre toneladas de fatos musicais históricos acabamos descobrindo que a cidade também tem um pé no mundo gastrômico e abriga o mais antigo Mercado dos Estados Unidos, o Pike Place.

O mercado é vibrante!! Tudo bem que tivemos sorte de pegar um tempo maravilhoso numa cidade que só chove, mas eu duvido que essa fosse a causa pra tanta agitação. As pessoas, incluindo eu, estavam felizes simplesmente por estar lá, rodeadas de ingredientes orgânicos, frutos do mar dos mais frescos, a brisa do Pacífico e magníficas montanhas no horizonte.

Destino único, com certeza! Um lugar onde você pode degustar um queijo artesanal ou diferentes tipos de cerejas, sentir o cheiro de milhares de especiarias vindo do Marketspice, saborear um mini-doughnut quentinho ou conhecer a primeira loja da Starbucks. Ou talvez, apenas sentar numa das privilegiadas mesas do Lowells, pedir uma  porção do tradicional “peixe com fritas” e se perder na vista do Olimpics e das montanhas canadenses.

Tomates frescos!

September 9th, 2011

Estou de volta e Give me flour também….. na verdade, estou de volta desde 26 de agosto tentando processar minha mente, retornar, não só fisicamente mas mentalmente, para as minhas atividades diárias.  Viajando por 47 dias vimos tanta coisa, cruzamos um monte de fronteiras, ouvimos diferentes sotaques, sentimos diferentes ares, cheiramos diferentes cheiros, saboreamos novos sabores, tiramos muitas, muitas fotos.

A cabeça está realmente cheia e reorganizá-la não é nada fácil. E questionamentos sobre a vida não param de circular na minha mente. Só pra te dar um exemplo, durante todo esse tempo acabei me acostumando a cozinhar em um pequeno fogão de acampamento, usando apenas duas panelas e alguns utensílios. Agora a pergunta que não me deixa é: eu realmente preciso de todas estas coisas na minha cozinha?

Sentimento estranho estar de voltar. Felizmente viagens como essa fazem a gente sentir que a vida está começando de novo, mesmo que você esteja voltando para a mesma velha rotina. Posso dizer, então, que depois de ursos no meio de trilhas, cascavéis em nosso acampamento, búfalos e lobos cruzando a estrada, até que é bom estar de volta e recomeçar.

Por enquanto isso é só um “oi”, só pra dizer que as coisas estão bem. Aliás, as coisas estão muito bem. Primeiro, ganhei um cesto de tomates de uma amiga semana passada e eles acabaram me dando o melhor de todos os molhos que já fiz, um deleite para alguém que passou um tempo considerável comendo comida desidratada. Segundo, me senti super honrada em ver nosso Tutorial Brigadeiro em um blog que eu realmente admiro, Kitchen Corners. Damaris, a blogueira, escreve desde 2007 uma miscelânea de coisas sobre sua família, compartilhando receitas e fazendo, como ela mesma diz, um blog-sobre-qualquer-coisa-que-eu-posso-imaginar. E já mencionei que ela tem um olho sensacional pra design e novas idéias e que ela compartilha tudo no seu blog sobre design? Ah, e já falei que ela tem as mais incríveis fotos under water? Clique para conferir o resto!!!

E as coisas não param por aqui. Tiffany, do blog A Clove of Garlic, A Pinch of Salt e suas carinhosas palavras me encorajaram tanto a seguir caminhando com o blog e com meu inglês. Acho que acabei de ganhar uma nova amiga!

Se não disse isso ainda diretamente, aqui vai: OBRIGADA GAROTAS!!

E prometo a todos que volto logo pra dividir os melhores momentos gastronômicos da nossa aventura.

Ah, e eu senti saudade do meu forno!!! Como senti saudades do meu forno!!

É tempo de férias minha gente! Give Me Flour está dando um tempo, fazendo uma pausa! Você provavelmente já notou que as coisas andam um pouco lentas nos últimos dias. Juro que pensei que daria conta de tudo, das crianças em casa, hospedar e aproveitar o tempo com minha irmã, me preparar para uma viagem de 45 dias, fotografar e escrever para o blog mas acabei falhando.

As fotos e receitas não foram problema, construi um estoque de idéias para manter o blog funcionando e visualmente as coisas estão em dia. Mas não sou tão boa com palavras como sou com imagens e gostos, especialmente considerando que tenho que escrever em duas línguas, inglês que ainda estou aprendendo, e português, que já estou perdendo. Fui muito otimista mas agora  estou desistindo. Quero e preciso refrescar minha mente e espero voltar com novas idéias para setembro.
Pois é, você não leu errado não, setembro. Estamos saindo amanhã, domingo, 10 de julho para o que provavelmente vão ser as nossas maiores férias. É uma mistura de emoções, excitação, medo e alegria. Fizemos uma viagem como essa ano passado, um pouco mais curta e foi simplesmente fantástica. Vamos ver o que a estrada está reservando para nós dessa vez!
Pretendo manter contacto através da nossa página no Facebook. Se você não teve oportunidade de conferir, dê uma olhada nas fotos exclusivas que são postadas a cada semana.
Vou me despedindo então e deixo vocês com este cupcake com uma “razão de ser”. O tamanho perfeito com a quantidade perfeita de caramelo e um toque de sal pra surpreender. Um bolo grande e “normal” não poderia fazer melhor.


A receita vem mais uma vez de um livro de Martha Stewart. Na verdade, é uma combinação de duas receitas, o cupcake de açúcar mascavo e o recheio de caramelo com sal usado aqui como cobertura. Fiz esta receita para minha irmã no seu último dia aqui e queria deixar a receita pra ela antes de sairmos. Sei que ela amou e tenho certeza que você vai também!

*Use um açúcar mascavo mais claro que encontrar, de preferência, com cor de raparura.

**A receita original pede “buttermilk”, um tipo de leite fermentado que não temos no Brasil. Mas nesse caso ele é perfeitamente substituível. Use iogurte integral ou coalhada líquida.
Pré-aqueça o forno a 165 ˚C. Forre a forma de cupcake com forminhas de papel.

Misture a farinha em pó, o fermento e o sal.
Com a batedeira em velocidade média alta, bata a manteiga e o açúcar mascavo até a mistura se tornar pálida e fofa. Adicione os ovos, um de cada vez, até que cada um esteja incorporado, raspando os lados da vasilha quando necessário. Adicione os ingredientes secos em três lotes, alternando com dois lotes de iogurte (ou coalhada), e batendo após a adição de cada um.
Divida a massa igualmente entre as forminhas, preenchendo apenas três quartos de cada uma. Asse, girando a forma na metade do tempo, até dourar ou até que um palito inserido no centro saia limpo, cerca de 25 minutos. Transfira a forma para uma grade e espere esfriar por 10 minutos; desenfome os cupcakes e deixe esfriar completamente.

Cupcakes podem ser armazenados por até três dias em temperatura ambiente ou congelados por até 2 meses, em recipientes hermeticamente fechados.
Para finalizar, mergulhe o topo de cada cupcake no caramelo, vire rapidamente e polvilhe com uma pitada de sal marinho. Cupcakes são melhores no dia em que são glaçados; manter em temperatura ambiente até que esteja pronto para servir.

Aqueça a água, açúcar e glicose de milho em uma panela média, em fogo alto alto, mexendo ocasionalmente, até que o açúcar se dissolve completamente. Clipe um termômetro para caldas e doces ao lado da panela ou observe o ponto do caramelo. Pare de mexer e cozinhe até calda começar a ferver, “lavando” as laterais da panela com um pincel molhado para retirar qualquer cristal de açúcar. Ferver, girando delicadamente a panela, até que a mistura esteja caramelizada e atinja 160​​˚C (caramelo escuro, caso não tenha um termômetro). Retire do fogo e adicione o creme de leite com cuidado (a mistura vai respingar bastante) e mexa com uma colher de pau até ficar homogêneo. Misture a flor de sal e use imediatamente. Se o caramelo começar a endurecer, aqueça suavemente até atingir a consistência desejada.

Festival do Morango!

June 30th, 2011

Tem sido assim ultimamente, no primeiro sinal de sol todo mundo sai de casa. Isso porque o verão nunca teve tanta cara de outono como esse ano. A temperatura continua incomodando e muito. Agora mesmo acabei de fachar a janela para impedir um ventinho frio de atrapalhar minha concentração. E olha que não estamos nem perto da hora do pôr do sol.

Pois é, eu sei, tenho reclamado muito. Mas tenho muitas razões pra isso. Minha irmã veio passar três semanas com a gente e acabou se tornando escrava do tempo. Sério, a gente teve que cancelar vários programas por causa de chuva. Ela chegou até a experimentar um alerta de tornado, com direito a  evacuação e tudo, uma loucura.

Bem, pelo menos morangos estão a salvo e o Festival do Morango de Long Grove não foi cancelado. E eu estava lá no último final de semana pra conferir, claro! Primeiro porque o sol deu o ar da sua graça e o calor estava a todo vapor. Segundo porque tinha que matar a minha fome por festivais, barulho, multidões e comida de rua!!!

Long Grove é uma cidadezinha histórica que fica entre 40 minutos a uma hora de Chicago, seguindo para o norte, e promove festivais como esse durante todo o ano. Mas você não precisa esperar pela próxima festa pra conferir o lugar. A vila é um aglomerado de charmosas construções históricas que abrigam restaurantes, galerias de arte, lojinhas de chocolate, para não falar da legendária Apple Haus, uma “casa” de estilo alemão famosa por sua extraordinária torta de maçã assada dentro de um saco de papel.

Mas se você realmente deseja ir durante um festival tenha em mente que o principal ingrediente da temporada é apenas uma desculpa para promover a festa. Para ser honesta, não encontrei muitos morangos e apenas algumas guloseimas preparadas com a fruta.

De qualquer jeito continua valendo a pena!

Acabei de dizer lá no “Give Me Flour English version” como sou uma garota de sorte por poder celebrar o Dia dos Namorados duas vezes. Mas eu passo longe de ser uma pessoa romântica (meu maridinho que o diga). O que realmente me importa são os quitutes especiais! E esse ano não posso reclamar, para o Valentine’s Day, o dia dos namorados que é celebrado dia 14 de fevereiro aqui nos Estados Unidos, já tive a chance de dividir várias receitinhas e muito chocolate.

Mas dia dos namorados não é completo sem morango. Pode até faltar companhia, mas morango não!!!

Estava até refletindo sobre o assunto outro dia. Algumas pessoas dizem que o dia 12 de junho foi decretado como dia dos namorados no Brasil pra dar aquela chacoalhada no comércio, já que não temos nenhuma outra data comemorativa digna de um consumo desenfreado nessa época do ano.

Mas desconfio que encontrei o verdadeiro motivo: celebramos o dia dos namorados no dia 12 de junho para coincidir com a temporada de morangos!

Não consigo pensar em uma desculpa melhor que essa. Pense, morango é a fruta do amor, vermelho, formato de coração, sexy……

Não liga pro dia dos namorados?? Apenas faça essa receita de mousse de chocolate branco com nutella, junte alguns morangos marinados em baunilha e hortelã e dê a si mesmo um pouco de prazer! Quem disse que você precisa dividir com alguém?

Aprendi essa receita no último restaurante em que trabalhei, a única diferença é que acrescentei nutella para dar um charme a mais.

É muito simples e muito mais fácil que qualquer outra receita de mousse que eu já vi; não usa ovos, creme de leite ou açúcar. Apenas dois ingredientes e alguns minutos de trabalho, mais o tempo de geladeira e o resultado é uma mousse rica e com um super sabor de chocolate.

Planeje, a mousse adquire melhor consistência se for preparada com um dia de antecedência.

Pique o chocolate em pedaços pequenos e coloque-o no liquidificador. Ferva o leite e despeje ainda quente sobre o chocolate. Ligue o liquidificador e bata até que todo o chocolate esteja derretido e a mistura aerada.

O tempo pode variar de acordo com a potência do liquidificador. Continue batendo até conseguir uma mistura fofa e cremosa, caso contrário a mistura não passará de uma ganache. Se estiver muito grosso adicione mais leite, mas apenas um pouquinho de cada vez.

Despeje metade da mistura em um bowl, coloque algumas colheradas de nutella e cubra com o restante da mousse. Acrescente mais nutella e misture levemente sem deixar que a nutella se incorpore a mousse (apenas para obter um efeito marmorizado). Leve à geladeira para endurecer.

No outro dia corte os morangos em quartos, pique a hortelã e misture aos morangos, acrescente a baunilha, misture bem e leve à geladeira por até duas horas.

Antes de servir coloque aproximadamente meia xícara de morangos marinados em bowls de sobremesa. Modele quenelles com a mousse de chocolate (só para dar um toque especial) e coloque-as em cima dos morangos. Sirva imediatamente.



Proudly powered by WordPress.
Copyright © Give me Flour. All rights reserved.