` Give me Flour | - Part 5

Give me Flour

Inspiration Café

October 17th, 2012

Olá! Difícil de acreditar mas aqui estou… não com uma receita nova porque está sendo difícil cozinhar e fotografar ao mesmo tempo.  Ainda tô tentando descobrir onde é que o meu tempo foi parar, sei que ando ocupada mas ainda assim parece que não estou produzindo muito.

Enfim, não tenho receitas mas decidi voltar mesmo assim pra compartilhar um projeto que se tornou um modelo pra mim, o Inspiration Café. Na verdade o café é apenas um pedaço de algo que começou em 1989 com Lisa Nigro e cresceu em uma organização muito maior, o Inspiration Corporation.

Fiquei conhecendo o trabalho deles em fevereiro, através das minhas aulas de foto jornalismo, e me deixei levar pela sua história e missão de ajudar a estabelecer a auto-suficiência, auto-confiança e dignidade de desabrigados e moradores de rua aqui em  Chicago. Hoje a organização oferece gerenciamento de casos e encaminhamentos (para serviços de saúde, por exemplo), preparação para empregos, formação profissional, habitação e uma vida mais saudável para as pessoas em necessidade. Mas é através do Café, o núcleo da organização, que mais de 3.000 pessoas por ano, afetadas pela pobreza e falta de moradia, estão tendo a chance de experimentar o  que realmente significa ser alimentado.

O espaço oferece café da manhã,  almoço e jantar, quatro vezes por semana nos moldes de um restaurante normal. Participantes tem o direito de freqüentar o lugar pelo menos oito vezes por mês. Mas para mim, o que realmente faz o programa se destacar de muitos outros programas de refeição para desabrigados é que lá dentro as pessoas são chamadas de clientes e recebem, apesar do menu limitado, a oportunidade de fazer o seu próprio pedido.  Voluntários-garçons-garçonetes atendem solicitações e garantem a comida na mesa no tempo certo.

É super interessante ver que até a cozinha funciona como num restaurant normal, sem deixar de lado as tensões e estresse pelos quais esse ambiente é conhecido. No final todos, funcionários, voluntários e participantes dão uma verdadeira lição do é fazer parte de um serviço de comida de verdade. Na minha opinião, um exemplo pra muitos restaurantes finos e caros que vemos por aí.

Você pode olhar algumas fotos aqui e conferir mais sobre o trabalho da organizaão do site: http://www.inspirationcorp.org/. Inspire-se!

Todas as imagens ©amandaareias

 

 

Filés de peixe em crosta de gergelim e corn flakes com molho asiático de gengibre e alho

Uma sensação muito estranha tem rondado a vizinhança nos últimos dias. Estamos caminhando para o fim do nosso quarto ano nos States e os amigos que fizemos durante este período estão indo embora. Primeiro você se sente feliz pelas novas possibilidades e caminhos que estão se abrindo para eles. Mas de repente você percebe que eles estão na verdade INDO EMBORA!

Eu sei que isso é o que se deve esperar quando você é um estudante que vive em um ambiente universitário certo? E esse é um sentimento familiar que têm me acompanhado desde os tempos de faculdade mas, ainda assim, é difícil de se acostumar.

O fator  agravante é que a maioria vem de lugares bem distantes. Alguns se mudaram da casa ao lado para a cidade vizinha, outros estão voltando  para Pittsburg, a mais ou menos 8 horas daqui, e outros retornando para lugares como Guatemala, Porto Rico e até mesmo Filipinas. Quando é que vamos nos encontrar de novo? Ninguém sabe ao certo.

Tudo o que sei é que tenho aprendido muito com todas essas pessoas queridas, seus diferentes jeitos de ver e provar o mundo. O tempo que passamos juntos – e que agora parece não ter sido o bastante – foi suficientemente forte para deixar memórias duradouras. E muitas, muitas vezes essas memórias foram construídas em torno de uma mesa ou fogueira. Comi pupusas com Xenia, bebi coquito feito por Ana e foi introduzida ao s’more por Bianca.

Claro que tudo isso vai muito além do mundo da comida, mas ainda assim continuo acreditando em algo que já disse aqui antes: as pessoas que amamos sempre estarão presentes através dos sabores da comida que um dia comemos juntos.

Ok, melhor parar por aqui, a saudade está apertando…

Parte desta receita foi criada por uma amiga, Donna, das Filipinas. Estava procurando algo diferente para ir junto com o meu peixe e ela gentilmente me fez esse molho de alho e gengibre para acompanhar minha receita.

 

. Refogue o alho, gengibre e cebolinha no azeite.

. Adicione o caldo de frango, molho de soja, sherry, açúcar, molho de ostras e leve ao fogo brando.

. Deixe ferver por aproximadamente 15 minutos para reduzir.

. Dissolva o amido de milho na água e misture ao molho fervendo. Cozinhe por mais 30 segundos ou até engrossar.

Observação da Donna:Você pode substituir o açúcar e o molho de ostra por 1 colher de sopa de Hoisin.Para um molho mais picante, adicione 1/2 colher de chá de molho de pimenta.

Sempre faço este peixe empanado em gergelim e corn flakes. E não consigo encontrar razões suficientes para fazer você acreditar no quanto essa receita vale a pena. É fácil, rápida, saborosa e, o mais importante, o peixe é assado e não frito como estamos acostumados, o que o torna uma opção super saudável para qualquer refeição.

Corn flakes triturado combinado com sementes dão uma crocância extra e ajudam a manter o peixe úmido. Uso tanto filé de tilapia como de bagre, que é fácil de ser encontrado por aqui. Meu único conselho é que se você optar por um filé de peixe mais grosso não há necessidade de tostar as sementes de gergelim, apenas acrescente mais 5 minutos no tempo de cozimento.

 

. Pré-aqueça o forno a 220˚C. Forre uma assadeira com papel manteiga.

. Tempere o peixe com alho, sal, as raspas de limão, pimenta do reino e regue com azeite.

. Combine as sementes de gergelim e o corn flake triturado em prato raso e tempere com uma pitada de sal e pimenta do reino.

. Empane ambos os lados de cada filé de peixe com esta mistura e arrume-os em uma única camada na assadeira.

. Asse por 10 minutos e está pronto!

Como sugestão para uma refeição completa, sirva o peixe coberto com o molho sobre uma cama de rúcula e rabanetes finamente fatiados.

Herança Italiana

May 31st, 2012

Outro dia estava tentando organizar meus arquivos e encontrei essas fotos de uma viagem que fizemos ao Brasil no final de 2010. E pensei comigo: Quer saber? Nunca é tarde demais pra compartilhar nossas memórias, especialmente se forem boas.

As fotos foram tiradas em um restaurante italiano em São Paulo, o Biondella Massas.  E não se trata de uma cantina sofisticada, com um serviço elegante e ambiente espetacular. É um restaurante pequeno, de todo dia, com mesas de bar apertadas e donas mal humoradas.

Mas nem por isso a clientela se assusta. E a impressão é que ninguém se importa em esperar na fila pra conseguir uma cadeira na hora do almoço de uma mísera quarta feira porque a comida…….ah, a comida…. pausa porque minha boca está salivando.

Biondella, pra mim, é a digna reprensentação dessa maravilhosa herança culinária que os italianos nos deixaram, massas artesanais e molhos incrivelmente frescos e saborosos.  Rondellis são os que mais sinto falta, nunca vi nada parecido por aqui.

Mas por favor, Biondella não é um lugar turístico, e nem quero que seja (*** falando bem baixinho só pra você escutar: Se visitar SãoPaulo, não perca a oportunidade!). Se não tem planos de ir até lá, bem… corra e experimente essa receita, meu amigo!

Guacamole diferente!

May 25th, 2012


Difícil de acreditar mas estou aqui novamente, em menos de uma semana! Encerrei mais uma classe e as coisas estão um pouco mais tranquilas.

Mas como sei que minha alegria vai durar pouco, deixa eu falar de guacamole enquanto posso!

Para começar, eu tenho que dizer que cada vez que penso sobre guacamole e abacate, eu penso sobre isso.

Pra você entender melhor, Tiffany, que é americana casada com um brasileiro, descreve sua primeira experiência tomando vitamina de abacate. Acontece que aqui nos Estados Unidos esse sabor é quase que exclusivamente associado com coisas salgadas como saladas, sanduiches, guacamole; enfim, o oposto do que estamos acostumados.

E eu posso me imaginar totalmente do outro lado da descrição de Tiffany, fazendo caretas para a idéia de comer abacate misturado com sal, cebola, tomate …. quando era criança tinha um abacateiro no fundo de casa e todo abacate era destinado quase que exclusivamente para vitaminas. 


E abacate com limão e mel ainda continua sendo um lanche poderoso aqui em casa. Mas durante esse tempo muita coisa mudou… ter mais de um abacate na geladeira, o que é super comum por aqui, já é desculpa  suficiente pra fazer guacamole.

E pra você aí no Brasil que nunca experimentou, não adianta fazer cara feia antes de tentar. Você vai se surpreender, garanto.

E a melhor coisa do guacamole é que é uma receita totalmente flexível, você pode ajustar os ingredientes de acordo com seu gosto e ele dificilmente dá errado. Eu particularmente gosto de brincar com o guacamole clássico e adicionar ingredientes não tão convencionais.

Esta receita, por exemplo, é uma pequena variação, com um leve toque asiático, vamos dizer.


Corte os abacates ao meio. Remova a semente. Retire a polpa e coloque em um bowl. Amasse com a ajuda de um garfo. Adicione os demais ingredientes e misture bem. 

Eu particularmente não uso pimenta mas se você gosta, vai fundo.

Sirva imediatamente com pão pita morno e estaja preparado para se surpreender!


Alguns dias atrás mencionei na nossa página do Facebook a minha aventura documentando os bastidores de Gigi Verrey na rede de TV WGN, durante uma apresentacão para o jornal do meio dia. Finalmente vim falar um pouco mais sobre seu trabalho e adivinhem, compartilhar uma de suas receitas!

Gigi é autora do livro “Okay, So I Got Fat” e trabalhamos juntas em algumas fotos para a divulgação do seu livro e website. Dizer que tudo isso tem sido uma alegria não parece suficiente.

Depois de fotografar (e degustar) algumas de suas receitas tenho que dizer, sua comida realmente reflete sua paixão pela cozinha: simples mas ousada e profundamente saborosa.E não pára por aí, o bônus é tudo que ela oferece é pensado em termos de equilíbrio, de uma refeição saudável e balanceada.

Os cardápios são baseadas no que ela chama de “refeições progressivas” onde as receitas podem ser duplicadas, transformadas e utilizadas em múltiplos pratos. Uma receita de tilápia com crosta de gergelim, por exemplo, pode ser transformada em tacos no dia seguinte; aquele milho assado com páprica e coentro de segunda-feira torna-se um purê cremoso para almoço quarta-feira, e assim vai.

Basicamente, são toneladas de dicas para uma vida melhor e mais saudável envolvendo uma forma simples e descontraída de cozinhar. Quem precisa mais do que isso?

O vinagrete para esta salada, por exemplo, é apenas uma das muitas variações para o vinagrete básico que ela ensina no livro. A base, azeite, suco de limão, alho e sal, ganha outra dimensão quando combinados com apenas dois novos ingredientes, sálvia e geléia de blueberries (ou qualquer outra geléia que você preferir).

Use para temperar uma porção de rúcula. A combinção de sabores é incrível, garanto!

E segundo Gigi, você ainda pode adicionar qualquer tipo de nozes, sementes de girassol, damascos, tâmaras ou uvas passas.

Para saber mais sobre essas fotos e receitas, visite http://www.gigiverrey.com/blog


 todas as imagens ©amandaareias 2012

 



Proudly powered by WordPress.
Copyright © Give me Flour. All rights reserved.